5 de dezembro de 2015

Aborto (Apenas um direito)


Nessa discussão, existem algumas variantes que quase sempre vejo que as pessoas esquecem, ou não sabem mesmo. A princípio é importante lembrar que o aborto já é legalizado no Brasil dado três situações: Em casos de estupro, em casos que a vida da gestante está em risco, e nos casos em que o feto é anencéfalo (sem cérebro, decisão recente). Nessas situações, o aborto é legal, lembrando que deve ser feito por médico devidamente capacitado. Também muitos esquecem (ou não sabem mesmo) que atualmente no Brasil só se considera aborto quando o procedimento é feito após o 14º dia de gestação, o que invalida um dos argumentos que sugere que a vida começa na fecundação.


Se você leu direito, esses casos são os considerados legais (dentro da lei), todo o resto é considerado crime contra vida humana, ou seja, a mulher que abortar sem devida justificativa pode ser presa e condenada a até três anos de prisão.

A sociedade por várias vezes entra em desiquilíbrio relacionado as suas leis e costumes, pois existem duas forças antagônicas influenciando na opinião da maioria dos indivíduos, a Ciência e a Religião!

Qual argumento afinal as pessoas usam para serem contra o aborto? O mais utilizado sem dúvida é esse:

- "Todo organismo tem direito a vida, logo um feto também tem, sou a favor da vida!" (Sem dúvidas um argumento de base religiosa).

Acho que essa pessoa nem se quer sabe a diferença entre um feto e um embrião. (vide final do post).

Se você passar a observar, vai perceber que a maioria que usa esse argumento são cristãos, em que, na maioria das vezes desinformados, usam esse argumento furado para apoiar algo sem sentido, simples.

O que você considera vida? Segundo o que a ciência conhece atualmente, apenas a partir da terceira semana o embrião desenvolve o cerébro, até lá, ele não sente nada, o que desconstrói mais um argumento, o de que o embrião sofre com o aborto. Pensando nisso, imagine se você for coerente, se acha que não deve abortar por que está matando uma pessoa, por que você não pensa também que quando está comendo um ovo, o que fez na verdade foi matar uma galinha? (Vidas em potencial). E quando você acabou de fazer o ato sexual, tomar contraceptivo também não é matar vidas em potencial? Pois é, outro argumento contra-aborto jogado lixo.

Acho que minha opinião já não é segredo, e é importante lembrar também que esse não é um ataque direto a religiosos, pois não são só eles que usam esses argumentos absurdos.

Outro problema é claramente o machismo (problema que pode também ter base religiosa), não há uma mobilização social sobre por exemplo, o aborto masculino, algo que talvez você que me lê, nem saiba me dizer o que é. Existe a velha mania de querer controlar o corpo feminino, não é mais fácil entender que abortar é um simples direito da mulher? o corpo é dela e ela deve poder fazer com ele o que quiser, igualmente o que você faz com o seu.

Mas, não devemos achar também que o aborto deve ser legalizado em todas as situações, e isso na verdade acho que é o medo das pessoas que são contra o aborto. Entro agora na minha humilde opinião, em que o aborto deve ser legalizado com regulamentação, que implica em colocar regras para o aborto, que é o que na verdade já existe, mas de maneira restrita. O aborto deve ser legalizado por exemplo, até a terceira semana que citei lá em cima, até lá, não temos vida humana, logo o aborto não implica em assassinato. Isso implica que os abortos serão feitos pelos SUS, o que provavelmente vai acabar (ou ao menos diminuir) com os casos de mães que jogam os filhos no lixo, também é provável que diminua a taxa de mortalidade de mães decorrentes de abortos mal efetuados, pois na maioria das vezes fazem clandestinamente.

É uma discussão que pode as vezes se tornar confusa, no entanto, se você conhecer premissas básicas da ciência, (e parar de querer controlar a vida alheia) vai ver que na verdade não irá se tratar de assassinato ou de falta de humanidade, mas sim de um ato que irá salvar mais vidas, que irá melhorar nesse ponto a saúde pública e ainda que dará apenas um direito a mulher sobre o seu próprio corpo, algo que há muito tempo deveria ser a realidade.

Mais informações:
Imagem - Cartunista Carlos Latuff
Limpinho e Cheiroso - Aborto Masculino
Sobre os anencéfalos, Canal do Pirula - Supremo Tribunal Federal e os anencéfalos