15 de setembro de 2015

Ser Livre (Poema)

Ser Livre (Poema)

Eu só queria ser livre para poder acordar ao corpo horário, que responsabilidades certeiras, não fossem obrigações rotineiras.

Eu só queria ser livre para poder dizer o que posso, sem magoar ou sem ser ignorado, sem ter o que te passo fechado, numa teoria de representação.

Por tanto o que falo, é mas* do que escrevo?

Só queria ser livre para poder abraçar sem você pensar o que sinto, mas o seu julgamento é preso ao que meu corpo aparenta, que mesmo todos com sessenta, não será desconstruído.

E se mesmo eu mostrasse o que posso ser, continuaria preso ao que você quer ser de você, testando o que já podemos levar, para nos qualificar onde devemos viver.

Só queria poder olhar de cima a baixo sem ser perguntado, sentir que posso fugir para longe, sem ter que voltar a indicação do esquerdo pulso programado.

Só queria ser livre para miar, para latir, mesmo sem ter as peles dos animais adorados, mas com poucas ações eu poderia ser internado com roupa de linha, e não me importando onde estou, choraria por uma amiga sozinha.

Sim, só queria ser livre para ver a fome matada, e na noite virada, vê-la ser matada novamente, por que mesmo tentando achar importância disso, nos nossos dias corridos, não vemos o que ela é realmente.

Só queria ser livre, para mesmo descrente sobre o que há, não apenas sonhar com o que posso fazer, para não precisar acessar meu recalque, por que é no presente que quero viver.

Queria tocar nas estrelas com os olhos sem cegar, por que aqueles que não veem o que há, não é fisicamente que precisam mudar.

Só queria ser livre para pisar onde quero, onde as placas e proibições não olhassem para o que calço, e se minha roupa não agradasse, fosse tirada, pois a vergonha não está no que vejo, mas sim, no que julgo após ver.

Mesmo não livre eu ainda da religião, largando de mão o que puxava, sou tratado com corda pendurado em arvore, por que se você não sabe, só com olhos fechados estará perdoado.

Eu queria ser livre para cantar para mim mesmo, que o público não fosse a atenção, mas o primeiro nível dessa estação, não pode chegar ao terceiro, idealizado por um homem faceiro, dizem que nunca será verdadeiro.

Só queria ser livre para mesmo aqui no escrito errado, não fosse julgado por uma gramatica sonhada, o que sai de mim é razão sentimental, que mesmo fora da tal, não é para você que foi repensada.

Pois é, mas como o verbo pressupõe, eu só queria ser livre.